quarta-feira, 6 de julho de 2016

língua morta 066



A PEDRA-QUE-MATA,
Poesia Japonesa
(uma antologia do «Período Primitivo» ao «Estilo Moderno»),
traduções de Luís Pignatelli,
fixação de texto, introdução e notas de Zetho Cunha Gonçalves

[200 exemplares, 150 pp., indisponível]